domingo, 2 de setembro de 2007

Ana Hickman


E-mail aberto endereçado a Ana Hickman:


Gostaria de fazer uma crítica a um fato acontecido na edição do dia 13 de julho.
Na hora da brincadeira do cheque ( se eu não me engano ) houve uma pergunta em que a dica era algo do tipo: "para a mulher é um elogio". A telespectadora disse q era "violão". O Edu Guedes disse que poderia ser já que isso é uma forma de elogio para a mulher. Nisso a Ana Hickman dispara: "Ah não Edu, se você falar que a mulher tem corpo violão está chamando ela de gorda!".


O meu recado vai pra Ana Hickman: se ter quadril, cinturinha, um corpo feminino ( o chamado violão ) é ser gorda, então sou violão com o maior prazer!!! Até porque se você perguntar para uma pessoa do sexo oposto quem ele acha mais gostosa, uma mulher com um corpo tipo o seu ou da Angelina Jolie ele com certeza não pensará duas vezes: Angelina Jolie. Ou você acha que nos jogos eletrônicos, nos desenhos animados, nos mangás japoneses as mulheres tem curvas porque é mais fácil de desenhar?


Você, como comunicadora, tem que rever os seus conceitos e pensar antes de abrir a boca pois muitas meninas, no início de adolescência, se espelham em você. E com comentários desse tipo você só faz com que o número de meninas anoréxicas e bulímicas aumentem para tentarem chegar a esse padrão "cabide" de beleza que, muitas dessas garotas, nunca conseguirão atingir porque existe um negócio chamado biotipo genético.


Sem mais palavras e esperando uma reflexão da apresentadora,


Larissa Frade.

4 comentários:

L'effect c'est moi... disse...

Precisava tudo isso?

Larissa Frade disse...

Resposta dada no blog da pessoa que fez o comentário acima:

Bom dia,

você andou visitando o meu blog e deixou o seguinte comentário: "Precisava tudo isso?".

Sim, precisava.

Gosto de expressar minhas opiniões, independende da reação das pessoas. Não sou uma pessoa alienada, que vive nos seus próprios devaneios. Se uma pessoa pode falar o que quiser ela também pode ouvir o que quiser. E o resultado é arcar com as consequências disso.

Você pode até achar ( nos seus devaneios, como pude perceber pelo seu blog e descrição ) que nada disso vale a pena. Que uma pessoa, que vive na realidade, não tenha o direito de tentar mudar algo que julgue errado ( já que na cabeça das pessoas isso não dará certo ), mas se cada um fizer a sua parte dá para mudar, pelo menos, o metro quadrado em que vive. E é nisso em que acredito.

Então precisava de tudo isso sim e valeu a pena.

Obrigada,

Larissa Frade.

Letícia Vepo disse...

Você postou muito bem
A Ana é mesmo muito artificial
E não sabe muito o que fala

Daniel disse...

Nossa, realmente ela disse muita besteira. Ela pode achar o tipo físico dela bonito, mas não achar que é um padrão, um modelo a ser seguido por todas as outras mulheres, e que aquelas que tiverem o corpo muito diferente do dela sejam erradas, ou pior ainda, "feias".
Você está certa na sua teoria, eu acho muito mais bonito uma mulher que tenha um corpo cheio, volumoso, ao invés de uma que parece que só tem pele e osso.
Depois dessa infelicidade que essa mulher disse ela caiu bastante no meu conceito.
Até mais.